Neto Evangelista denuncia abandono de material escolar em galpão pela Prefeitura de São Luís

De acordo com vídeo mostrado pelo deputado, mochilas, fardamento e outros com brasão da Prefeitura estavam em situação de abandono em galpão que era alugado
Neto Evangelista denuncia abandono de material escolar em galpão pela Prefeitura de São Luís
Deputado Neto Evangelista fez a denúncia na tribuna da Assembleia Legislativa

O deputado estadual Neto Evangelista (União Brasil) usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão para denunciar, nesta terça-feira (30), o abandono de uma grande quantidade de material escolar em um galpão pela Prefeitura de São Luís.

De acordo com vídeo mostrado pelo parlamentar, várias unidades de mochilas, fardamento escolar, tênis e meias, com o brasão da Prefeitura Municipal de São Luís, estavam em situação de abandono em um galpão que era alugado pelo Executivo municipal.

“Quantas crianças ainda estão sem fardamento? Eu vi alguns pais da região do Itaqui-Bacanga reivindicarem que seus filhos não tinham fardamento escolar. Vi crianças de escolas públicas municipais jogando vôlei nos JELS, descalças. É desumano. O pior é a Prefeitura ter as mochilas, as fardas, as meias, os tênis, e não entregar aos alunos. O material que aparenta ser novo, abandonado em um galpão que já foi devolvido pela Prefeitura, parecendo lixo. Isso é jogar o dinheiro da população de São Luís no lixo”, disse Neto Evangelista.

Em seu discurso, o parlamentar destacou, ainda, outras denúncias feitas por ele contra a gestão do prefeito Eduardo Braide (PSD) na área da educação pública municipal.

“O prefeito de São Luís tem mostrado que só funciona sob pressão. Vai deixando que as coisas aconteçam e só trabalha quando a gente denuncia. Já trouxemos a pauta dos pais que ficaram acorrentados na porta da Prefeitura de São Luís porque não foram recebidos pelo prefeito, para que eles pudessem falar sobre as demandas dos seus filhos autistas. Denunciamos o problema da Escola Felipe Conduru, que passou mais de mês sem ter aula porque a escola estava quase caindo sobre eles. Fizemos uma denúncia grave onde os pais receberam comunicado para que não enviassem os filhos para a escola, porque lá não tinha água para beber. Se o prefeito Eduardo Braide só funciona sobre pressão e com denúncias, traremos sempre”, concluiu o deputado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *