Família acusa hospital municipal de Estreito de negligência após jovem de 24 anos morrer: “Infelizmente virou um matador”

A família do jovem Gabriel Batista Rodrigues Almeida, luta por Justiça após o jovem de apenas 24 anos morrer, após ser atendido no hospital de Estreito, na região Sul do Maranhão.

Segundo familiares a negligência no Hospital Municipal de Estreito, piorou a situação da saúde do jovem, que chegou a buscar atendimento médico em um hospital no Tocantins, mas já era tarde demais.

De acordo com relato da família, Gabriel foi por diversas vezes no Hospital Municipal de Estreito, em busca de atendimento. Mesmo apresentando dificuldades para andar, perdendo movimento dos membros, ele foi diagnosticado com ansiedade ou depressão.

Com uma dor de cabeça insuportável, a família de Gabriel decidiu levar ele para um hospital no Tocantins. Onde recebeu atendimento médico e imediatamente foi diagnosticado com uma mancha na cabeça.

Ele chegou a ser encaminhado para realizar exames de imediato, mas já era tarde. Seu quadro de saúde piorou e ele faleceu.

A cirurgia de Gabriel já estava sendo marcada, e ele poderia está vivo, segundo a família. Se não fosse os dias que passou no Hospital de Estreito, agravando a cada dia, seu quadro de saúde.

Em Estreito, ele chegou a tomar remédio para ansiedade e depressão. Algo que pode ter piorado seu quadro de saúde.

Após a morte de Gabriel, amigos e familiares, usaram as redes sociais para desabafar, diante da situação de calamidade pública que chegou a saúde de Estreito, que nem mesmo tem realizado alguns exames. “infelizmente virou um matador” classificou um primo da vítima, sobre o Hospital Municipal de Estreito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *