Funcionário da Sesai é assassinado na Terra Indígena Araribóia, em Arame

MARANHÃO – Um funcionário da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) foi m0rto, na tarde desta terça-feira (31), na aldeia Abraão, situada na Terra Indígena Araribóia, em Arame, a 478 km de São Luís. A vítima foi o motorista Raimundo Ribeiro da Silva, de 57 anos, também conhecido como ‘Doutorzinho’.

De acordo informações preliminares, Raimundo Ribeiro era casado com a líder indígena Marta Guajajara. No momento do crime, ‘Doutorzinho’ dirigia uma caminhonete da própria Sesai e trafegava em uma estrada de piçarra que passa pela aldeia Abraão. Em dado momento, Raimundo foi surpreendido por dois homens em uma motocicleta que se aproximaram do veículo e at1raram contra o motorista.

Na caminhonete conduzida por Raimundo Ribeiro, estavam duas indígenas que conseguiram fugir dos disparos. A vítima trabalhava na Sesai há mais de 30 anos, na função de motorista.

Com a m0rte do funcionário da Sesai, já são três assassinatos e duas tentativas de homicídios contra indígenas, na região da Terra indígena Araribóia, este ano. A Polícia Civil do Maranhão ainda não se pronunciou sobre a morte do motorista.

Morte de indígena
Na manhã de sábado (28), o corpo do indígena Valdemar Marciano Guajajara, de 45 anos, foi encontrado morto na cidade de Amarante do Maranhão, a 683 km de São Luís.

De acordo com a Polícia Civil, no corpo do indígena foram encontradas várias marcas de espancamento. Ao g1, o delegado Gabriel Andrade disse que o indígena foi vítima de agressão física e morreu por traumatismo cranioencefálico.

Valdemar Guajajara vivia na aldeia Nova Viana, que fica localizada na Terra Indígena Araribóia. A polícia investiga se o assassinato é relacionado aos direitos dos indígenas, já que os povos originários são alvos constantes de ameaças em razão de disputas por territórios na região.

(Com informações do G1 Maranhão)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *